25/11/2016 Sessão Solene em homenagem a Semana Municipal da Consciência Negra

Sessão Solene em homenagem a Semana Municipal da Consciência Negra

Em cumprimento a RESOLUÇÃO Nº 32/2002, que dispõe sobre a realização de sessão solene em comemoração a Semana Municipal de Consciência negra, o Legislativo Tubaronense, nesta quinta-feira, 24 de novembro, realizou a sua Quarta Sessão Solene de 2016, em Homenagem a Semana Municipal da Consciência Negra. Esta Sessão foi transferida do último dia 17, em função do mau tempo e queda de energia elétrica.

Para marcar a referida data acompanharam inicialmente uma palestra relacionada com o tema “Religião de Tronco Africano: Identidade Cultural, Preconceito, Discriminação e Perspectivas”, proferida pelo Professor Marcos Canetta Rufino.

Após a palestra, foram entregues às pessoas de relevada importância ao Movimento de Consciência Negra de nosso município, uma “Menção Honrosa”, Comemorativa de Participação na Sessão em Homenagem a Semana de Consciência Negra do Legislativo Tubaronense, ocorrida nesta data.

Antes das homenagens, o Vereador Edson Firmino, Presidente da Câmara, destacou que no último domingo,  20 de novembro, é  comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra. Trata-se de um momento onde todos os Brasileiros celebraram a memória Zumbi dos Palmares e Dandara, herói e heroína do Brasil.

Registrou que acima de tudo, que foi um dia de reflexão e busca de novas formas para enfrentar o racismo que, infelizmente ainda hoje dificulta e tira a vida de mulheres e homens em todo o país.

Lembrou que em todo o Brasil, movimentos, organizações e pessoas obstinadas, resgatam e promovem ações para manter viva a memória de Zumbi e seu significado para os afros descendentes brasileiros, e em nossa região não poderia ser diferente.

Salientou que nesta Sessão, a exemplo das outras edições, os Vereadores prestam homenagens a um grupo destas muitas pessoas obstinadas. A entrega das Menções Honrosas foi feita por cada um dos Vereadores desta Casa aos homenageados, obedecendo à ordem alfabética de precedência de cada um.

 

HOMENAGEADOS COM “MENÇÃO HONROSA”

 

ALAÍDE CORRÊA, carinhosamente mais conhecida por (Dinha), professora aposentada de Português, Inglês e Espanhol, presidente e fundadora do MOVIMENTO CULTURAL DE CONSCIENTIZAÇÃO NEGRA TUBARONENSE - MOCNETU, conselheira do Conselho Estadual das Populações Afro - (CEPA) e do Conselho Municipal da mulher; sempre foi uma mulher aguerrida, que não mediu esforços, para que esse Movimento fosse efetivado de fato, e tivesse seu espaço no que diz respeito às questões de visibilidade e pertencimento étnico. Percebendo reais situações de opressões, fez com que se ampliasse o debate enfaticamente sobre as questões no que diz respeito às relações étnico raciais, se tornando assim, um movimento ativo em busca de respeito e oportunidades para a população negra Tubaronense. Criado em março de 1997, MOCNETU é uma entidade sem fins lucrativos, considerado de utilidade Pública pela Lei Municipal 2901 - de 15 de Junho de 2005. Seus trabalhos são de natureza cultural e social, promovendo palestras, cursos, encontros regionais e outros eventos significativos. Visa resgatar as raízes negras, valorizar e tornar conhecidas as mais diversas expressões artísticos culturais afros, promovendo a igualdade racial, buscando a eliminação de todas as formas de discriminação e violência, especialmente, a étnico-racial, de gênero, intolerância religiosas. Ao longo desses quase 20 anos, o MOCNETU, vem se posicionando fortemente como um Movimento de reivindicações de direitos, ganhando espaços de visibilidade em Tubarão e SC.

 

ALEIDA CARDOSO CORRÊA, Professora de Português e Inglês, Especialista em Gênero e Diversidade na escola é a 1ª Coordenadora Municipal de Promoção da Igualdade Racial e Vice-presidente do Fórum de Educação Permanente de Igualdade Étnico Racial de Tubarão. Consolidar, capacitação e inclusão são alguns dos objetivos da Coordenadoria de Políticas Públicas e Promoção da Igualdade Racial do Município de Tubarão. O órgão foi instituído em maio de 2014 e desde então, viabiliza políticas voltadas ao enfrentamento à discriminação, através de ações afirmativas ao combate das desigualdades raciais. Para além de atender uma demanda em conjunto com o Movimento Negro e de outros grupos étnico-raciais, a Coordenadoria desempenha suas atividades através de Simpósios de Educação Étnicas raciais para as Escolas municipais e estaduais; Projeto Leitura Afro nas escolas, onde visa o comprometimento de se trabalhar a Lei 10.639/2003, Política de enfrentamento ao combate ao racismo na saúde pública do município; citando a Anemia falciforme e a Campanha Nós por Nós - sobre a prevenção do Câncer de mama na mulher negra, Ações e projetos sobre a representatividade mulher negros Tubaronenses, suporte aos alunos universitários sobre a Política pública da Promoção da Igualdade Racial, demonstrando o reconhecimento do Município, da necessidade, a uma efetiva implementação de estratégias para a eliminação às discriminações. Essa política vem de encontro aos direitos conquistados através dos Movimentos Sociais Negros, que lutaram e ainda lutam por espaços que oportunizem tratar sobre questões, que por muito tempo foram relegadas. Além do espaço físico, tais políticas ainda precisam ter mais visibilidade reconhecimento pelos órgãos públicos, e só assim se efetivará de fato a equidade de luta, de pertencimento e de resistência do povo negro.

 

CARMEM BEATRIZ MARTINS DE SOUZA, 59, é mãe de três filhos, Janaina, Sabrina e Daniel. Ela é professora da rede municipal de educação há 23 anos. Começou a lecionar na Escola Maria da Silva Correa, no bairro caruru, depois passou pelo CAIC, CEI Pirlim-Pim-Pim, teve duas passagens no CEI Caminho Feliz, no bairro Bom Pastor.  A primeira como professora e a segunda como diretora. Em 2005, Carmem assumiu a direção da Escola Padre Paulo Herdt. E foi nesse momento em que a professora começou a escrever a sua historia junto à comunidade do Km 63, foram 11 anos frente essa escola. Durante esse tempo, Carmem trabalhava efetivamente para que os alunos tivessem uma boa estrutura escolar, que consequentemente gerava mais qualidade no ensino. A diretora tinha presença ativa na comunidade, pois além de dirigir a escola, buscava soluções para diversos problemas existentes no bairro, junto ao conselho comunitário. Além de se preocupar muito com a saúde dos alunos da escola, a diretora também se preocupava com os pais, e fazia visitas com frequência. A escola que Carmen assumiu em 2005, passou por uma transformação pelas mãos dela. Diversas obras foram realizadas, novo refeitório, instalações de ares-condicionados, obras que melhoraram a estrutura escolar, para dar um atendimento de maior qualidade para os alunos. Hoje Carmem é coordenadora de projetos de tempo integral para os alunos na Escola Faustina da Luz Patrício, como aulas de capoeira, de dança, espanhol, karatê e a “banda de lata”.

 

ELÍSIO DE SOUZA MADEIRA, nascido em 23 de agosto de 1968, no bairro Guarda Margem Esquerda, Tubarão/SC. Formação Técnica em Programação de Sistemas.  Elísio de Souza Madeira é o sétimo de oito filhos de Pedro Moyseis Delphino Madeira e Maria José de Souza Madeira, os quais, mesmo sendo agricultores, sempre incentivaram os filhos a buscarem alguma formação profissional como meta pessoal. Desde cedo fez parte do Grupo de jovens JISA, onde aprendeu a ter senso de solidariedade. No ano de 1987, serviu o Exercito Brasileiro, pelo qual foi voluntário por uma semana para prestar auxílio às vítimas de um grande temporal de granizo na cidade de Imbituba, SC, nesse mesmo ano recebeu das mãos do Major Penkal, comandante da 3ª Cia de Infantaria, uma medalha de melhor praça combatente do ano de 1987. Sua grande luta dentro de suas possibilidades é demonstrar que é capaz, mesmo sendo vítimas de um preconceito insano, mesquinho e covarde por parte de pessoas que se julgam superiores por terem uma cor mais clara e um cabelo mais liso que o seu. É adepto da filosofia de seus pais os quais diziam que a educação pode nos ajudar a abrir portas. “Quem quiser que fique com seus preconceitos e parem no tempo, enquanto eu estou na luta realizando sonhos, alcançando minhas metas, pois minha capacitação e atitude são minhas respostas aos fracos e desqualificados preconceituosos. Somos humanos e o que nos torna melhores que outro é nossa capacidade de realizar tarefas físicas ou intelectuais se comparado aos demais. A cor, a forma física são coisas que os olhos enxergam, se os fecharmos e só sentir, jamais distinguiremos a cor de alguém que está próximo de nós. Somos um só ser, somos apenas e tão somente seres humanos e como tal recebo essa homenagem”, finaliza Elísio.

 

ELMO PEREIRA, nascido em Tubarão no dia 17/1 0/1938. Casado com Maria Aparecida tem nove filhos e doze netos. Foi funcionário da antiga Telesc por 30 anos, hoje aposentado e fundador do GETUBA. Justifica-se a indicação para conceder a homenagem ao Senhor Elmo Pereira pela vida atuante em nome do coletivo. Um profissional altamente qualificado membro da CIP A/DODL representante dos empregados nas gestões: 1976-1977, 1983-1984, 1986-1987. Venceu o concurso de operário padrão Telesc provido pelo SESC em 1982 e 1988. Elmo foi fundador do GETUBA (Grêmio esportivo Telesc de Tubarão), diretor de esportes; 2° tesoureiro (1974-1975); Presidente (1975-1978). Foi presidente da Associação de Veteranos de 3 de Maio em 1986-1987, Diretor Social do Clube 3 de Maio de Capivari de Baixo Presidente do Conselho Comunitário de Capivari de Baixo, gestão 1987-88. Diretor Social da Escola de Samba Mangueira de Capivari eleito 1982 e atualmente continua no cargo.

 

EMERSON CARDOSO, 71 anos, casado, três filhos, natural de Marília, São Paulo. Veio trabalhar em Tubarão no ano de 1978, na Empresa VESUL na função de gerente de compras e vendas de peças para caminhões Mercedes Benz. Trabalhou 18 anos até se aposentar em 1996. Aposentado, passou a fazer trabalho voluntário no Centro Social Urbano e na Igreja Católica Santa Teresinha do Menino Jesus, no Bairro Passagem, onde mora, e ainda restava tempo para junto com outras pessoas a auxiliar no Movimento Negro. Foi presidente na Associação dos Funcionários da VESUL e na Sociedade Recreativa Cruz e Souza, onde iniciou um trabalho de revitalização da entidade. Em junho de 2008 fez concurso na Prefeitura de Tubarão para função de motorista, indo trabalhar com caminhão caçamba. Sua maneira de lidar com pessoas e com o bem publico, fez com que em pouco tempo fosse transferido para a Secretaria de Saúde, transportando servidores fiscais e outros. Também transporta pessoas que tinham necessidades especiais, para consultas, exames, curativos enfim pacientes em gerais, tanto para hospitais, clinicas, consultórios, com os também pacientes cardíacos, hemodiálise, pulmonares e dependentes químicos e outros, dentro do Município, como também para outras cidades diversas, sempre tratando as pessoas com muita dedicação e sensibilidade. Um fato que marcou na sua atividade, foi um paciente que levei num sábado a noite para Florianópolis, onde realizou um transplante de rim, pois estava muito debilitado. Hoje quando o encontra nas ruas, da cidade, andando de bicicleta, por todo lado, se emociona, por ter contribuído na sua recuperação. Emerson Cardoso tem orgulho de ser motorista da Secretaria da Saúde, participa de cursos de aperfeiçoamento em transportes em ambulâncias, para melhor servir, aos pacientes com mais amor, carinho e respeito e está sempre pronto a viajar a qualquer momento.

 

JAILSON VIEIRA ALVES nasceu em 27/12/1985, em Tubarão. É o quarto de cinco filhos de Sebastião José Alves e Margarida Vieira Alves. Enquanto criança participou do coral da Igreja São João Batista em Capivari de Baixo. Foi coordenador de liturgia na Igreja São Miguel Arcanjo por cerca de quatro anos, também em Capivari de Baixo. Ex Legionário, durante anos ajudou a organizar campanhas de Natal Solidário. Foi voluntário e estagiário do Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente - CEACA em Capivari de Baixo. Trabalhou na farmácia do Hospital Nossa Senhora da Conceição em Tubarão por dois anos, por outros dois anos na Clínica Médica I, do Hospital Universitário em Florianópolis, quando também foi praticante de natação. Formou-se em Jornalismo pela Unisul em 2008, e como jornalista, trabalha no Jornal NOTISUL desde 2014. Durante o período de sua graduação em Jornalismo fez parte da Companhia de Teatro da Unisul. Atualmente, é acadêmico da sétima fase de Direito também na Unisul, e nesta nova fase acadêmica já integrou o Centro Acadêmico de Direito da Unisul. Torcedor do Clube de Regatas Vasco da Gama e do Avaí Futebol Clube, não é filiado a nenhum partido político, porém não admite deixar de lutar por aquilo em que acredita. Enquanto jornalista dedica-se principalmente as causas das minorias. Recentemente escreveu matérias amplas sobre o tema que permeou nos últimos quatros meses acerca da aprovação do instituindo dia de cultos aos Orixás em Tubarão, abordando não apenas a resistência à aprovação do projeto, como a intolerância, racismo e preconceito.

 

LISIANE SCHWARTZ RESENDE tem 52 anos, natural de Santa Maria RS, Técnica de Enfermagem (aposentada). Sempre foi uma mulher determinada e solidária em ajudar o próximo. Fez e continua fazendo um excelente trabalho com os imigrantes. O trabalho com os imigrantes começou em 2014, Tubarão já contabilizava mais de 60 imigrantes africanos neste ano. Inicialmente Lisiane começou com visitas e a partir daí o vínculo de afeto foi mútuo. Carinhosamente chamada de “MÃE”, por todos eles. Com o passar do tempo, houve a necessidade de um olhar mais atento, pois, os mesmos estavam em situações vulneráveis, porém cheios de sonhos e com muita vontade de trabalhar. Vendo a real dificuldade aqui no Brasil, sua estadia estava piorando, pois, encontrar emprego e se manter no mercado de trabalho, ficou muito difícil. Outro agravante eram as condições precárias que viviam e o valor do aluguel alto, fez com que Lisiane procurasse ajuda, principalmente roupas de cama e de frio para os mesmos. Não obteve êxito em alguns setores do Município, mas encontrou uma luz no fim do túnel com o apoio do Movimento Negro (MOCNETU) e Rotary tubarão Sul que, prontamente os ajudaram com alimentação, roupas, móveis e entre outras coisas. Prezando por uma condição de vida mais digna. Para diminuir a dificuldade em relação ao idioma, procurou ajuda e encontrou a professora Suelen de Português, que se dispôs a ensiná-los a língua portuguesa; aulas essas cedidas pela Unisul. Hoje através de um projeto do Curso de Relações Internacionais, surge um compromisso de cumplicidade e informação – como o intercâmbio dos alunos brasileiros e africanos. Este é um exemplo, onde cidadãos comuns podem somar juntos com entidades, e ajudar a acolher os imigrantes.

 

LUIZ GONZAGA CARDOSO, filho de David Pedro Cardoso e Adélia Plácido Cardoso. Natural de Tubarão, 54 anos, casado com Maria de Lourdes de Aguiar Cardoso, pai da Heloisa de Aguiar Cardoso. Ingressou na Prefeitura Municipal de Tubarão, através de Concurso Público em 1º de março de 1999, no cargo de Técnico em Contabilidade. Ocupou a Controladoria Geral da Prefeitura Municipal de Tubarão, no período de 2013 a 2014 e atualmente responde pela Responsabilidade Contábil do nosso município. Participou de entidades que considera os Guardiões da Cultura Negra em Tubarão, a saber: Presidente da Sociedade Cruz e Souza, no período de 1997 a 1999, com destaque ao Projeto Cultural Cruz e Souza, com uma semana de atividades culturais, evocando a cultura negra, em especial o Patrono da Sociedade Cruz e Souza, o poeta maior “João Cruz e Souza”; Foi cofundador da Pastoral Afro Brasileira em Tubarão e presidente em 1997. Destaca-se que a Pastoral é um marco das atividades junto a Igreja Católica, com resgate dos valores, participação das comunidades Negras, com resgate de elementos culturais.

 

MARCELO CORRÊA, 33 anos casado começou a frequentar casas religiosas, o que hoje chamamos de benzedeiras, aquelas velhas senhoras que com seu copo e seus galhinhos de ervas benziam com seus cinco anos de idade. Conheceu aos 14 anos de idade casas de Umbanda e em 2003 quando por uma mudança de cidade, de Santa Catarina para Bahia onde conheceu a roça de Candomblé, que no qual me encantou o brilho e ao mesmo tempo a simplicidade da dança dos Orixás. Em Setembro de 2013, decidiu pegar toda a bagagem adquirida no Candomblé, aproveitar tudo que ainda me servia e recomeçar. Integrante do Fórum de Educação Permanente da Igualdade Étnico Racial por acreditar que na entidade e que a propagação da religião de matriz africana no modo geral poder levar a população o verdadeiro intuito religioso, desmitificando o preconceito e perseguição. Estudante permanente das questões religiosas de matriz africana, pai Marcelo acredita que é necessário levar conhecimento a população e desta maneira tentar diminuir os impactos negativos atribuídos erroneamente às religiões afras que tem como principal base à mãe Natureza é o fundamento dos cultos aos Orixás. Atuante na luta pelo direito de igualdade para a religião afro integrante do “Movimento Sou de Orixá”. Para difundir as culturas africanistas religiosas a cada quinzena reúne filhos de santos e a população em geral para falar sobre essa herança cultural trazida pelos homens escravizados ao Brasil.

 

MARCOS CANETTA RUFINO, Professor, atuante nos movimentos e causas sociais, especialistas em africanidades e atuante no Movimento Negro, envolvido diretamente  nas questões étnico-raciais. Formado em História pela UDESC; Pós - Graduado em Gestão de Pessoas pela FEPESE- UFSC; Mestre em Gestão do Patrimônio Cultural - IPT- Portugal; Doutorando em Identidades, Materiais e Culturas na UTAD – Portugal; Acadêmico da 10º período do curso de Direito; Professor do curso de Direito da Faculdade IES - São José; Policial Civil - Professor da ACADEPOL; Ex-Secretário de Cultura e Turismo de São José; Presidente do Centro Comunitário da PROCASA - São José; Militante do Movimento Negro e Sócio Fundador do Instituto Li.

 

MARIA DE LOURDES VIEIRA, Lurdinha, Lurdes, Dona Lurdes, nasceu no dia 8 de setembro de 1935 em Tubarão- SC. Filha de Manoel Vieira e Julieta Mathias, a caçula das irmãs Dalva, Bebela (Maria Isabel), Zenaide, quando perde o posto de caçula para Manoel (Deko). Cedo começou a trabalhar como cuidadora de crianças, mas o gosto e o dom pela costura despertaram os estudos por essa formação, levando a formar-se em Corte e Costura.  Foi casada com José Lupércio Vieira e deste relacionamento nasceu 6 filhos, que lhe deram força para  lutar e vencer as dificuldades e sofrimentos que naquele tempo era difícil,   principalmente  para o Negro. Dona Lourdes, mais conhecida por Lurdinha, foi uma lutadora e questionadora sobre a segregação racial, nunca se conformou com essa indiferença selvagem, que sempre levou a mesma a lutar pelos seus diretos, seja por força da lei e ou movimentos sociais, sendo que sua referencia de luta contra este mal selvagem como assim se expressa, é Zumbi dos Palmares. Muitas mudanças na vida daquela moça Tubaronense, agora com uma grande família de seis filhos, formada com seu marido. Longe de sua família, a qual sempre viveu muito próxima, a saudades é grande, mas as dificuldades impulsionaram também seu crescimento e sua força, trabalhando incansavelmente pela felicidade da família e de toda a comunidade negra daquele bairro. Através de seu trabalho como costureira conseguia reunir outras mulheres negras com a mesma dor da exclusão, e assim conseguiam unir forças para amenizar a dor da exclusão. Os inúmeros cuidados sob sua responsabilidade: cuidar da casa, cozinhando, lavando, passando, e claro a educação dos seis filhos edificavam seu Ser de Mãe, e a luta contra a segregação como Mulher Negra. Ficou viúva aos 51 anos e Deus lhe concede o desejo de construir uma casa em Tubarão. E assim aconteceu, veio para Tubarão em junho de 1989. Uma nova etapa da vida a conquistar e vencer. E ela ali, firme no Senhor, envolvida na casa do Senhor na congregação Assembleia de Deus km 60 e não tinha tempo ruim para estar cultuando a Deus, e lutando sempre pela igualdade Racial. “Que história de vida Dona Lurdes, e o melhor é podermos hoje estar aqui uma vida de lutas, vitórias, aprendizados, crescimentos, lágrimas, risos, dificuldades, superações e sempre, sempre seguindo com muita Fé”.

 

MARÍLIA DA SILVA ALANO, natural de Tubarão 31 anos, filha de Maria Aparecida da Silva e Marcílio Alano. Pedagoga formada pela UNIASSELVI/FUCAP desde 2009. A partir de seu ingresso ao magistério umas de suas preocupações foi dar visibilidade a 304/1996, que tornou obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-brasileira. Professora da rede Municipal de Tubarão realizou projetos que promoveram o ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana que objetivam a produção e a divulgação dos conhecimentos, atitudes e valores que eduquem os cidadãos quanto à plural idade étnico-racial, ao respeito aos direitos de todos, à valorização da identidade e à consolidação de uma nação democrática, bem como ao reconhecimento e à valorização da história e da cultura dos afro-brasileiros e das raízes africanas da nação brasileira. Teve um de seus projetos destacados pelo Fórum de Educação e Diversidade Etnicorracial de Tubarão com o conto “O casamento da princesa" de Celso Sisto, dentre outras atividades os alunos encenaram a história e também cantaram a música "África" do palavra cantada. Este ano de 2016 tornou-se integrante no movimento negro de Tubarão MOCNETU, ficando ainda mais atuante nas questões relacionadas à igualdade racial, participando da Marcha da Negritude Catarinense, Café Ideias, e a passeata do Outubro Rosa, destacando o câncer de mama nas mulheres negras. Em junho deste mesmo ano, juntamente com Aleída Cardoso criaram um coletivo de mulheres negras denominado NEGRASOY destinada ao empoderamento das mulheres negras. Uma página no Facebook cujo objetivo é promover, trazer visibilidade e representatividade as nossas pautas e reivindicações de direitos. Um espaço na internet que serve para debates e conversas sobre nossas demandas e angústias, dentro de uma sociedade opressora, racista e sexista.

 

PEDRO HERMÍNIO MARIA, filho de agricultor, natural de Águas Mornas - SC, Auditor fiscal da receita estadual, ex-gerente regional da Fazenda Estadual, em Tubarão (três gestões) e atualmente Administrador da Escola Fazendária, responsável pela capacitação dos servidores da Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina.Formado em administração e gerência, pela ESAG/UDESC, Cursou também dois anos de contabilidade na UFSC; especialista em Direito Tributário - JICA, em Tókio - Japão; pós-graduado em Contabilidade Pública Avançada, pela ESAF - Brasília; em Gestão Fazendária pela UFSC - Florianópolis e; em Comunicação Empresarial, pela UNISUL - Tubarão. Incentivador e participante da “criação da Associação das micro e pequenas empresas de Tubarão (AMPE)”, juntamente com o contador Luiz Otavio Ramos de Medeiros - ORPROCON. Possui o título de “Cidadão Tubaronense”, de autoria do ex-vereador Rudnei Nunes, amigo da classe e ex-presidente da AMPE/Tubarão.  Recebeu “Menção Honrosa” pela Câmara de Vereadores de Tubarão em reconhecimento pelos trabalhos em “defesa da etnia negra da região”, proposta pelo ex-vereador Maurício da Silva. Reconhecimento da Assembleia Legislativa de SC pela “perfeita integração entre o a Gerência Regional da Fazenda e os meios de comunicação”, proposto pelo ex-deputado estadual, Genésio de Souza Goulart. Reconhecimento pelos “serviços prestados na região de Tubarão à classe contábil” proposto pelo ex-presidente do CRC/SC, Sérgio Faraco. Seu hobby são as longas caminhadas, já realizou os seguintes roteiros: São Thiago de Compostela - Espanha; Missões - no Rio Grande do Sul; Primeiro Caminho do Sul, São Leopoldo-RS/Nova Trento-SC e; Das Santas - Imbituba/Nova Trento.

 

TADEU JAIR PEREIRA, filho de João Pereira e Idalete Vitória Pereira nasceu em 02 de outubro de 1949, Natural de Tubarão, município onde ainda reside, é casado com Marizete Wanderlind Pereira e tem 05 filhos. Bacharel em Direito com especialização em Ciências Jurídicas, pela Universidade do Sul de Santa Catarina, cursa doutorado em Ciências Jurídicas e Social na Universidad del Museo Social Argentino, foi professor universitário no período de 1994 a 2015 lecionando as disciplinas de Introdução ao Estudo do Direito Público e Privado, Direito Comercial. Direito Tributário e Direito Trabalhista aos cursos de Administração, Ciências Contábeis. Engenharia Civil e Engenharia Química da UNISUL. Ainda como educador, foi professor titular da disciplina de Ética e Legislação no Jornalismo no curso de especialização em Jornalismo da UNISUL. Foi procurador Jurídico na Câmara de Vereadores de Capivari de Baixo-SC e advogado da Prefeitura Municipal de Tubarão/Se, atuando nas Secretárias de Assistência Social e Saúde na gestão do ex-prefeito Carlos Stupp. Tadeu, também é bacharel em Teologia e membro da Igreja Evangélica Bíblica Dominical. Além disso, é evangelizador no Presídio Regional Masculino de Tubarão e Centros de recuperação de dependentes químicos do município. No serviço social e voluntário sempre se dedicou e ainda sem empenha a igualar as diferenças existentes de ordem econômica, social e política da nossa sociedade. Presta serviços nas associações beneficentes Eleziel de Almeida e ABEV AN e em 2013 fundou a Associação Sonho Meu - Casa de Passagem e Apoio Assistencial de Tubarão/Se acolhendo pessoas e acompanhantes de pacientes internados nos hospitais do município, que necessitam de guarida em função de tratamento de saúde, oriundos dos desajustes da vida moderna. Por sua trajetória de vida, conquistas e relevantes serviços prestados a comunidade se justifica a concessão desta homenagem.

 

TERESINHA ISABEL ALVES, nascida em Tubarão é moradora do bairro Oficinas é Auxiliar de Enfermagem aposentada. Justifica-se a homenagem a Senhora Teresinha Isabel Alves, pelos serviços prestados a comunidade durante os vinte anos que trabalhou como auxiliar de enfermagem conhecida como Tereza do Círculo Ferroviário. As mãos de dona Tereza aliviaram o a dor daqueles que precisavam dos seus préstimos aferição de pressão, injeções, curativa pessoa de confiança dos médicos da época: Dr. Akilson, Irmoto, Olegário “In Memorian”, Stélio. Mãos a serviço do bem assim foi a via-a da Tereza do circulo ferroviário, sempre dando conselho e afeto para todos.

 

TIAGO PORFÍRIO MOTTA, 17 anos, estudante do ensino médio, mora na estrada geral da Madre, na comunidade  de Morrinhos em Tubarão - SC. Ele começou a praticar corrida de rua e ciclismo no ano de 2015 e de lá pra cá acumula bons resultados em sua categoria (15 a 19 anos). Tiago participa do Ranking do 28º Circuito de Corridas de Rua, organizado pelo CORTUBA - Clube de Corredores de Rua de Tubarão. Atualmente, ele está em 22° na classificação geral, sendo que esse ano já participou de 5 etapas (competições), na qual alcançou os seguintes resultados:  1ª ETAPA CORRIDA NO PARQUE:  4º lugar na dupla masculina; 2ª ETAPA MEIA MAROTANA DE TUBARÃO: 3º lugar na dupla mista; 3ª ETAPA 10 MILHAS DE ANITA: 4º lugar no trio masculino; 4ª ETAPA GAROPABA RUN ADVENTURE: 7º lugar na prova individual de 21 km; 5ª ETAPA CORRIDA WILLY ZUMBLICK:  3º lugar dupla mista. Tiago, também, foi 2º colocado na Maratona da Ponta do Papagaio – Florianópolis em 2016, além de participar em diversas competições de corrida de rua na região e no Estado de Santa Catarina. Recentemente, entre os dias 8 a 15 de outubro de 2016 representou Tubarão no 29º joguinhos abertos de Santa Catarina, realizado na cidade de Caçador, o qual competiu na prova de 5 mil metros rasos.

 

VANDERLEI RUFINO MACHADO nasceu em Tubarão, SC no dia 25 de julho de 1964. Casado, dois filhos, residente em Tubarão, bacharel em Teologia e Tecnólogo em Patologia Clínica e Eletromecânica, Trabalha há 22 anos na Companhia Integrada Desenvolvimento Agrícola de SC - CIDASC. Pastor Rufino como é comumente reconhecido, há 20 anos tem aliado seu trabalho na CIDASC, com o ministério pastoral frente à Igreja do Evangelho Quadrangular do bairro Morrotes juntamente com sua família. Durante este período, muitos trabalhos foram desempenhados no bairro em prol das famílias menos favorecidas e com jovens em risco social, através de visitas hospitalares e a pessoas acamadas, aulas de música gratuitas, ressocialízacão de pessoas Que saem do presídio, auxílio no tratamento de dependentes Químicos e em clínicas de recuperação, apoio espiritual, e em muitas ocasiões com provimento de mantimentos. Ao longo desta caminhada pode ver muitas pessoas serem transformadas pelo amor de Deus, tendo suas famílias restauradas, recuperação de enfermidades, e muitas bênçãos alcançadas, fato que faz todo o seu trabalho ser recompensado.